segunda-feira, 25 de abril de 2016

25 DE ABRIL - SÃO MARCOS, EVANGELISTA







Duples de 2ª classe - paramentos vermelhos

São Marcos, discípulo do Príncipe dos Apóstolos, que numa de suas cartas lhe chama seu "filho", é um dos quatros evangelistas. Devemos-lhe o segundo Evangelho, o mais breve e o mais vivo, onde se sente vibrar ainda a voz do pescador. A narração começa ainda pela missão de São João Batista, "a voz que se ouve no deserto". Foi por este motivo que a tradição cristã representou sempre o evangelista com um leão aos pés; o leão, que é um dos animais simbólicos da visão de Ezequiel, faz retumbar o deserto com os seus rugidos. Foi um dos 72 discípulos e o primeiro a pregar o evangelho no Egito. Sofreu o martírio provavelmente em Alexandria. Roma possui uma igreja dedicada a São Marcos, onde se faz a estação na segunda-feira da terceira semana da Quaresma.


Epístola

Leitura do profeta Ezequiel (1, 10-14): Eis a figura dos quatro animais: Quanto ao aspecto de seus rostos tinham todos eles figura humana, todos os quatro uma face de leão pela direita, todos os quatro uma face de touro pela esquerda, e todos os quatro uma face de águia. Eis o que havia no tocante as suas faces. Suas asas estendiam-se para o alto; cada qual tinha duas asas que tocavam às dos outros, e duas que lhe cobriam o corpo. Cada qual caminhava para a frente: iam para o lado aonde os impelia o espírito; não se voltavam quando iam andando. No meio desses seres, divisava-se algo parecido com brasas incandescentes, como tochas que circulavam entre eles; e desse fogo que projetava uma luz deslumbrante, saíam relâmpagos. Os seres ziguezagueavam como o raio.

Evangelho do dia:

Leitura do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (10, 1-9): Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Depois disso, designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir. Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe. Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos. Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós. Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa. Em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que se vos servir. Curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: O Reino de Deus está próximo.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: