sábado, 12 de dezembro de 2015

III Domingo do Advento: "Eu sou, diz João Batista, a voz que clama no deserto: Endireitai os caminhos do Senhor". (Ev.)





São João Batista é, como o profeta Isaías e a Santíssima Virgem, uma das três grandes figuras que enchem a liturgia do advento. Ao mesmo tempo profeta do Messias (o último dos profetas) e testemunha de Cristo (foi o primeiro a pregar as multidões a sua vinda).
São João Batista suscitado por Deus para preparar os caminhos do Senhor continua como outrora a cumprir sua missão junto de nós. A Santa Igreja compraz-se em repetir-nos o testemunho do Precursor, as suas exortações a penitência, e aponta-no-lo como exemplo de profunda humildade. Como os homens o tomassem por Cristo, humilhou-se até o ponto de declarar indigno de desatar os  cordões de seus sapatos. As suas exortações conservam ainda hoje toda a importância. O Salvador, que para nós já veio, está para vir ainda para muitas das almas que continuam a ignorá-lo. Nós mesmo devemos recebê-lo cada vez mais
em nossas almas. Na festa do Natal realiza-se a nossa filiação divina. Além disso, devemos preparar-nos para a última vinda do Senhor, em que Ele virá julgar-nos sobre a maneira como recebemos nesse mundo. A Igreja prepara-nos assim para a festa do Natal e também para essa última vinda do Salvador. A grande alegria dos cristãos à qual nos convida a Igreja, é a de sentirmos que o dia do Senhor se aproxima, dia em que virá cheio de glória para nos introduzir consigo na Jerusalém Celeste. Façamos votos para que o Natal nos prepare para esse grande dia que o Apóstolo diz está próximo e para que ele se realize depressa. Todas essas aspirações do Advento, estes "Vinde", são como um eco dos profetas e daquele "Veni" com que João termina o livro do Apocalipse: "Vinde Senhor Jesus!" é a última frase do Novo Testamento. Como sinal de alegria, tocam-se os órgãos à missa solene e o sacerdote pode usar paramentos de cor rosa, os quais simbolizam a alegria da Jerusalém Celeste e um alívio as penitências do Advento roxo. Alega-te ó Jerusalém, com Grande Alegria, porque há
ti virá o Salvador, Aleluia. "Per adventum tuum libera nos Domine", cantamos nós na ladainha de todos os Santos.

Epístola

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Filipenses (4, 4-7). Irmãos: Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus.



Evangelho de Domingo: Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João (1, 19-28): Naquele Tempo: Os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para perguntar a João: Quem és tu? Ele fez
esta declaração que confirmou sem hesitar: Eu não sou o Cristo. Pois, então,
quem és?, perguntaram-lhe eles. És tu Elias? Disse ele: Não o sou. És tu o
profeta? Ele respondeu: Não. Perguntaram-lhe de novo: Dize-nos, afinal, quem
és, para que possamos dar uma resposta aos que nos enviaram. Que dizes de ti
mesmo? Ele respondeu: Eu sou a voz que clama no deserto: Endireitai o caminho
do Senhor, como o disse o profeta Isaías (40,3). Alguns dos emissários eram
fariseus. Continuaram a perguntar-lhe: Como, pois, batizas, se tu não és o
Cristo, nem Elias, nem o profeta? João respondeu: Eu batizo com água, mas no
meio de vós está quem vós não conheceis. Esse é quem vem depois de mim; e eu
não sou digno de lhe desatar a correia do calçado. Este diálogo se passou em
Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal.
Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: