sábado, 29 de dezembro de 2012

DOMINGO DENTRO DA OITAVA DE NATAL (OITAVA DO NATAL)






Antes da vinda do Filho de Deus, enviado pelo Pai, para que também recebêssemos a adoção de filhos de Deus, o homem era como um herdeiro na sua menoridade que em nada se distinguia de um escravo. Pelo contrário, agora que a lei nova o antecipou da tutela da antiga, "ele não é mais servo mas filho".Desta maneira o culto dos filhos de Deus resume-se nesta palavra proferida com Jesus: "Pai!" (Epístola).
 
O Evangelho descobre-nos qual será o grandioso papel, no futuro, deste menino cuja manifestação começa hoje no templo. É o rei cujo reino penetrará até o interior dos corações. Será para todos a pedra de toque, pedra de escândalo para os o rejeitarem, e pedra angular de suporte para os que o receberem.
 
Só depois da maioridade é que o filho entra na posse da herança a que tem direito. Antes disso depende daqueles que em seu nome administram o patrimônio. Era assim para os judeus da lei mosaica. Esperavam pelo rico patrimônio da nova lei, mas esperavam ainda sujeitos aos ritos e prescrições da Antiga Lei, espécie de tutela do povo de Deus, enquanto esperavam a herança que lhe foi prometida. Mas essa hora da herança chegou; o filho de Deus se fez homem para nos libertar da escravidão  da Lei e tornar-nos filhos de Deus, co-herdeiros do Reino dos Céus. Com os tempos messiânicos cessa-se a lei mosaica e começa a maioridade do povo de Deus, alcançada por meio do Batismo.
 
O velho Simeão e a profetiza Ana (de mais de oitenta anos de idade), que passavam seus dias no templo, dão testemunho de Jesus. Ele é o Messias e sua vinda implica necessariamente numa separação ou um julgamento. Os pensamentos secretos de cada homem referentes a Cristo serão revelados no último dia, porque ele perscruta os rins e os corações. Concenam-se os que o rejeitam, porque, fora dele, não há salvação.

Epístola

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Gálatas (4, 1-7). Irmãos: Explico-me: enquanto o herdeiro é menor, em nada difere do escravo, ainda que seja senhor de tudo, mas está sob tutores e administradores, até o tempo determinado por seu pai. Assim também nós, quando menores, estávamos escravizados pelos rudimentos do mundo. Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção. A prova de que sois filhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! Portanto já não és escravo, mas filho. E, se és filho, então também herdeiro por Deus.
 
Evangelho do dia:

Leitura do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (2, 33-40): Naquele tempo, Maria e José estavam admirados das coisas que dele se diziam de Jesus. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma. Havia também uma profetisa chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser; era de idade avançada. Depois de ter vivido sete anos com seu marido desde a sua virgindade, ficara viúva, e agora com oitenta e quatro anos não se apartava do templo, servindo a Deus noite e dia em jejuns e orações. Chegando ela à mesma hora, louvava a Deus e falava de Jesus a todos aqueles que em Jerusalém esperavam a libertação. Após terem observado tudo segundo a lei do Senhor, voltaram para a Galiléia, à sua cidade de Nazaré. O menino ia crescendo e se fortificava: estava cheio de sabedoria, e a graça de Deus repousava nele.
 
Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.
 

Nenhum comentário: