Liturgia II: DIFERENÇA ENTRE LITURGIA E AS OUTRAS CIÊNCIAS TEOLÓGICAS

I. A Liturgia é ciência. Possui objeto próprio: Deus (publice colendus) que deve ser venerado publicamente. Prova as suas asserções por razões externas e internas derivadas dos princípios revelados: Deus deve ser venerado publicamente, mormente pelo santo sacrifício e pelos sacramentos. Por conclusões metódicas codifica seu sistema doutrinal.

38. II. A Liturgia é ciência teológica, Muitas verdades tratadas na Liturgia, embora não em toda a extensão, são tiradas da revelação divina e pertencem como dogmas à matéria da fé católica: as verdades relativas ao SS. Sacramento, ao santo sacrifício, aos sacramentos, à virtude da religião. (Mt 4, 10.) Estas verdades dogmáticas são a base sólida da Liturgia, realçam com a sua luz a importância dela e influem na sua execução.

2. Por isso também teólogos (S. Tomás, III q. 83 a. 5 e seus comentadores) tratam da Liturgia em suas obras dogmáticas. Em todas as obras de teologia moral há tratados sobre a Liturgia da missa e dos sacramentos. Numerosas (Eisenhofer, 118-140) são, p. ex., as explicações da missa, obras sem dúvida litúrgicas, que desde mil anos foram escritas em forma dogmático-ascética, por conseguinte teológica.

3. Os principais livros do culto público, missal, breviário e ritual, não são livros de direito canônico.

4. Os ritos mais essenciais, usados na Liturgia do santo sacrifício e dos sacramentos, foram instituídos pelo divino Redentor. Todos os outros ritos principais se podem considerar como ampliação daqueles. (Vigourel, p. IV.)40. Da teologia dogmática e moral difere a Liturgia por seu fim. A teologia dogmática trata de Deus como objeto do conhecimento; a Liturgia considera-O como objeto do culto público. A teologia moral ocupa-se da liceidade ou liceidade dos atos humanos; a Liturgia, da sua correta execução, enquanto prescritos no culto público. Por conseguinte: a Liturgia, como disciplina teológica, é a parte da teologia que trata dos atos humanos, enquanto são meios para o culto público de Deus e para a consecução do fim último.

Fonte: Curso de Liturgia - 2ª Edição - Pe. João Batista Reus, S. J. - Ed Vozes Limitada - Petrópolis - Rj 1944

Comentários