Catecismo Romano: Da parte dos Sacramentos - O Batismo - profecias da água batismal

Quanto as visões proféticas não há dúvida de que a água do batismo estava designada e simbolizada naquelas águas, para as quais o profeta Isaías convidava tão generosamente os sequiosos (Is 55,1 ) ou, que Ezequiel viu em espírito jorrar do templo para fora; bem como naquela fonte que, na predição de Zacarias, ficava a disposição da casa de Davi e dos habitantes de Jerusalém, a fim de se purificar nela o pecador e a mulher legalmente contaminada.

Motivos de escolher a água: Em sua carta a Oceano, São Jerônimo alega várias razões, para provar quanto convinha a natureza e eficiência do batismo, que se tornasse a água como sua matéria sacramental.

Ao desenvolver esta doutrina, ensine os párocos que em primeiro lugar que, tratando-se de um sacramento necessário a todos, sem nenhuma excessão, para conseguirem salvar-se, a água era a matéria mais apropriada, por se encontrar em toda a parte, e por ficar ao alcance de todos, sem maior dificuldade.

Além disso, a água simboliza o efeito do batismo com a maior fidelidade. Assim como lava as imundícies, a água também exprime, de maneira muito sugestiva, a virtude e a finalidade do batismo, pela qual são lavadas as manchas do pecado.

Uma razão a mais é que a água tem a especial virtude de desalterar o corpo; de maneira análoga, o Batismo extingue parcialmente o ardor das paixões desordenadas.

(Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

Comentários