SEXTA-FEIRA DE PÁSCOA (OITAVA DE PÁSCOA)



Elias, O Profeta


A Igreja depois de reunir os neófitos em Latrão, em Santa Maria Maior, em São Pedro, São Paulo, São Lourenço e nos doze Apóstolos, faz a estação hoje na Basílica de Todos os mártires e sua Rainha, no antigo Panteão dos Césares que encerra para nós o símbolo perfeito da vitória da Cruz.
A liturgia deste ciclo faz-nos ver em Noé e Moisés as figuras dos acontecimentos e mistérios da Páscoa. E a missa de hoje completa e declara esta doutrina, recordando-nos no intróito, Epístola e Ofertório que a aliança estabelecida por Deus outrora com Noé e com os deles que sobreviveram ao dilúvio e depois reafirmada com Moisés e com o seu povo salvo das águas do mar vermelho, era imagem e sombra da aliança nova em favor daqueles que salvos pelo batismo entraram na terra da promessa e da adoção dos filhos de Deus.
Na cruz, com efeito, o Senhor destruiu o pecado e com a sua ressurreição deu às almas a vida na graça.
Sejamos fiéis aos compromissos que tomamos no batismo, que nos admitiu ao grande mistério de vida e de morte com que selou o Senhor o pacto da reconciliação humana.

Epístola

Leitura da Epístola de São Pedro Apóstolo (IPed 3,18-22). Carríssimos Irmãos: Pois também Cristo morreu uma vez pelos nossos pecados - o Justo pelos injustos - para nos conduzir a Deus. Padeceu a morte em sua carne, mas foi vivificado quanto ao espírito. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes, quando Deus aguardava com paciência, enquanto se edificava a arca, na qual poucas pessoas, isto é, apenas oito se salvaram através da água. Esta água prefigurava o batismo de agora, que vos salva também a vós, não pela purificação das impurezas do corpo, mas pela que consiste em pedir a Deus uma consciência boa, pela ressurreição de Jesus Cristo. Esse Jesus Cristo, tendo subido ao céu, está assentado à direita de Deus, depois de ter recebido a submissão dos anjos, dos principados e das potestades.



Evangelho do dia:

Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo Segundo São Mateus (28, 16-20): Naquele tempo:
Os onze discípulos foram para a Galiléia, para a montanha que Jesus lhes tinha designado.
Quando o viram, adoraram-no; entretanto, alguns hesitavam ainda.
Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra.
Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.


Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Comentários