quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

18 DE JANEIRO CÁTEDRA DE SÃO PEDRO EM ROMA




Cátedra de São Pedro em Roma
Postado por Elias, O Profeta

A festa da cadeira de Pedro tem por objetivo reivindicar a primazia universal do Príncipe dos Apóstolos e conserva apenas uma relação longínqua com a cadeira, sede material, que se venera na abside da Basílica Vaticana, como símbolo da autoridade suprema do Bispo de Roma.

Constituído por Cristo como chefe visível da Igreja, São Pedro, com os seus sucessores, são depositários do poder de ligar e desligar e conseqüentemente detentores da realeza de Cristo no mundo. O Evangelho da missa recorda-nos o episódio da confissão de São Pedro e da resposta de Cristo, com base e prova das prerrogativas do Chefe da Igreja. Quase toda a missa se pode dizer a afirmação contínua desta primazia. A Epístola é o primeiro capítulo do qual São Pedro escreveu de Roma aos fiéis da Ásia. A Igreja que trouxe sempre juntos os nomes dos dois grandes Apóstolos faz memória de São Paulo na missa de vésperas.

Onde está Pedro aí está a Igreja de Cristo. Quem não está sob Pedro está fora da "arca", fora da Igreja de Cristo, longe dos sinais de salvação e purificação do Senhor. Peçamos então, caros irmãos, a conversão dos que estão fora da Igreja do Senhor, para que Deus os ilumine com a luz da verdade, os restaurando e os submetendo a hierarquia constituída por Cristo Nosso Senhor.


Epístola

Leitura da Epístola de São Pedro Apóstolo (I Pedro 1, 1-7). Irmãos: Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são estrangeiros e estão espalhados no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia eleitos segundo a presciência de Deus Pai, e santificados pelo Espírito, para obedecer a Jesus Cristo e receber a sua parte da aspersão do seu sangue. A graça e a paz vos sejam dadas em abundância. Bendito seja Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo! Na sua grande misericórdia ele nos fez renascer pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma viva esperança, para uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível, reservada para vós nos céus; para vós que sois guardados pelo poder de Deus, por causa da vossa fé, para a salvação que está pronta para se manifestar nos últimos tempos. É isto o que constitui a vossa alegria, apesar das aflições passageiras a vos serem causadas ainda por diversas provações, para que a prova a que é submetida a vossa fé (mais preciosa que o ouro perecível, o qual, entretanto, não deixamos de provar ao fogo) redunde para vosso louvor, para vossa honra e para vossa glória, quando Jesus Cristo se manifestar.


Leitura do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (16,13-19): Naquele tempo: Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem? Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou? Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo! Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não revalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: