sexta-feira, 16 de outubro de 2015

16 de Outubro - Santa Edwiges, Viúva


Santa Edwiges nasceu em 1174 na Alemanha, seu pai Bertoldo era Conde de Andechs, Duque de Merânia e Marquês de Ístris e sua mãe a Duquesa Inês, da nobre dinastia dos Wettin.


Desde pequena cresceu habituada as práticas religiosas, pois seus pais eram cristãos que praticavam a oração diariamente. Aos sete anos ingressou no convento de Kitzengen onde estudou e teve uma forte formação religiosa, aprendendo a Sagrada Escritura.


Apesar de manifestar o interesse em permanecer no convento dedicando a vida ao serviço de Jesus, o projeto de Deus para ela não se realizaria no convento. Após seis anos de permanência no convento, seu pai buscou-a e assim voltava para casa onde nascera.


Perto dos 14 anos de idade, seu pai a apresentou ao seu noivo, por ele escolhido, Henrique de Breslau – Príncipe da Silésia, com quem se casou. A vida conjugal lhe proporcionou seis filhos, porém suas duas primeiras filhas tiveram vida curta.


Como dona de casa conquistou todos os que estavam sob suas ordens pela forma carinhosa de tratá-los. Seu lar se tornou uma grande casa de oração a Deus, cuidando da formação religiosa dos filhos e do marido.


Desde a sua chegada na Silésia procurou conhecer as condições de vida daquele povo e pode observar a carência por que muitos passavam. Assim sempre que podia ajudava a todos e procurava junto ao esposo dispor de benefícios e favores para aquela gente sofrida.


Um episódio marcante ocorreu um dia quando voltava para o castelo e viu um homem sendo arrastado por alguns servos, e indagou a razão de tal fato. Explicaram que aquele homem não havia pago os impostos e seria levado para a prisão. O sujeito implorou que não o prendessem prometendo que pagaria os impostos tão logo pudesse. Entretanto a disposição do administrador era de não fazer concessões e prende-lo. Diante deste quadro Edwiges ordenou que o libertassem, pois pagaria a dívida.


Edwiges dedicava-se aos necessitados cada vez mais. Quando do surto de uma peste em sua região improvisou um local onde acolheu os doentes e os tratava com carinho e amor. Posteriormente construiu um hospital para atender aos pobres doentes.


Mulher de oração vivia em profunda intimidade com o Senhor. Percebeu que o povo não tinha uma formação religiosa e interveio junto ao marido para que fossem trazidos monges para algumas regiões da Silésia.


Edwiges influenciava o marido nas decisões políticas e na elaboração de leis mais justas para o povo. Assim construíram-se Igrejas, Mosteiros, Hospitais, Conventos e Escolas.


Já não pensando em ter mais filhos, apresentou ao marido seu desejo de fazer voto de castidade, o que foi respeitado pelo marido. Assim no domingo da Paixão de 1.209, em cerimônia comovente, na presença do bispo Lourenço, proclamaram o voto solene.


Deste momento em diante, Edwiges passou a morar a maior parte do tempo no mosteiro de Trebnitz, não integrando a Ordem religiosa, apesar da insistência de sua filha Gertrudes que se tornara religiosa.


Edwiges submetia-se ao sacrifício de jejuns diários, pouca alimentação, apenas atendendo as necessidades do corpo. Bebia somente água, o que preocupava a todos, pois havia recomendação médica para que bebesse também um pouco de vinho.


Surge ai um episódio visto como um milagre. Em certo dia tinha lhe sido servida uma jarra de água, quando chega o seu marido e a repreende por não estar seguindo a orientação médica e só estar bebendo água. Edwiges sem nada falar oferece a jarra para que o marido beba, quando ele o faz constata que bebera vinho e de boa qualidade. O servo que lhe serviu – Chevalislau – não acreditou e retrucou. Edwiges então ofereceu também a ele. Ao tomar constatou ser vinho. Não entendendo pediu desculpas e todos se retiraram.


Com a morte do esposo, Edwiges passou a morar no Mosteiro de Trebnitz, onde sua filha Gertrudes já era a superiora. Edwiges intensificou os passos rumo à santidade. Vivia com o mínimo de sua renda, direcionando o restante em socorro dos necessitados. Era misericordiosa e socorria os endividados. Em certa ocasião, em visita a um presídio, descobriu que muitos ali se encontravam porque não tinham como pagar as suas dívidas. Assim, Edwiges pagava as dívidas de muitos e propiciava-lhes a liberdade.


Edwiges perdeu seus filhos em lutas e batalhas ao longo dos anos. Sofria muito por isto, mas igualmente aceitava com verdadeira conformidade cristã. Idosa, seu coração já bastante cansado se viu obrigada a ir para a cama e não mais levantou. Assim em 15 de outubro de 1.243 Edwiges faleceu no Mosteiro de Trebnitz. Após os funerais seu corpo foi colocado na igreja conventual de Trebnitz, tornando-se um local de grande peregrinação.


Edwiges dedicou toda sua vida na construção do Reino de Deus.


O processo de canonização foi iniciado pelo Papa Urbano IV, em 1.262. Em 26 de março de 1.267, foi canonizada pelo Papa Clemente IV.


A comemoração litúrgica de Santa Edwiges é celebrada no dia 16 de Outubro.

Fonte: Santuário Santa Edwiges

Nenhum comentário: