Catecismo Romano: Da parte dos Sacramentos - O Batismo - O uso da água consagrada (Parte II)


O teor da forma: Em termos claros e singelos, de fácil compreensão para todos, devem os pastores ensinar que a forma clara e completa do Batismo é a seguinte: "Eu te batizo em nome do Padre, e do Filho, e do Espírito Santo".

Assim ensinou Nosso Senhor e Salvador, quando prescreveu aos Apóstolos no Evangelho de São Mateus: "Ide, ensinai todos os povos, e batizai-os em nome do Padre, do Filho, e do Espírito Santo" (Mt 28, 19).

Sua explicação: Do verbo "batizai", a Igreja Católica, por inspiração divina, deduziu acertadamente que, na forma deste sacramento, se deve exprimir a ação do ministro. E o que sucede, quando se diz: "eu te batizo".

Além do ministro, era preciso designar também a pessoa que é batizada, assim como a causa principal que opera o Batismo. Esta é a razão de acrescentar o pronome "te" e o nome de cada uma das Pessoas Divinas.  Assim temos a forma completa nas palavras que acabamos de explicar: "Eu te batizo em nome do Padre, do Filho e do Espírito Santo".

No sacramento do Batismo, operam juntamente todas as pessoas da Santíssima Trindade, e não somente a pessoa do Filho, do qual escreve São João: "Este é quem batiza" (Jo 1, 33).

Além disso se diz "em nome" e não nos "nos nomes", para indicar que é uma e una a natureza da Santíssima Trindade. O termo "nome" não se refere aqui as pessoas, mas designa a substância, virtude e onipotência divina que é uma  e a mesma  nas três pessoas.

Expulsemos a forma completa, em todos os sentidos. Mas cumpre em notar que nela há palavras estritamente essenciais, que não podem ser omitidas sem anular o Sacramento e outras que não são tão necessárias, que não invalidam o Sacramento, se forem omitidas.

A formula grega: De tal espécie é o pronome "eu", cujo sentido subtende no verbo "batizo". Nas igrejas gregas, que usam outra fórmula, é até costume omiti-lo, porquanto os gregos não julgam necessário mencionar o ministro. Por isso a fórmula que usam em toda parte é a seguinte: "Este servo de Cristo é batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

No entanto, por decreto e por definição do concílio de Florença, eles conferem assim validamente o Sacramento. Aquelas palavras exprimem o suficiente o elemento essencial do Batismo, isto é, a ablução que de fato se faz no mesmo instante. (Pg. 229)

 (Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

Comentários