Liturgia Católica: COMPOSIÇÕES LITÚRGICAS EM VERSOS (Parte II)


IV. Sequências. 1) Origem - Sequência (de sequor = seguir) significava a continuação em neumas longas da última nota do aleluia do Gradual, chamado jubilas alleluialicus.  Por ser de difícil execução, organizou-se um texto silábico, correspondente às notas e que se chamou sequência. As vezes faltava a simetria do texto, de maneira que este pouco se diferençava da prosa; por isso davam à sequência o nome de prosa. Finalmente se criaram sequências independentes do aleluia, com melodias próprias, que , ocuparam o lugar costumado depois do gradual. 2) Uso - Das muitas sequências da idade média, Pio V conservou cinco: Victimae paschali (Páscoa; autor Wipo, capelão de Conrado II); Veni Sancte Spiritus (Pentecostes; autor: Langton, Arcebispo de Cantuário, -1- 1288, o que consta de documento publicado em1913); Lauda Sion (Corpo de Deus, autor: S. Tomás de Aquino) ; Stabat Mater (Nossa Senhora das Dores, autor: provavelmente S. Boaventura); Dies irae (réquiem, autor: Tomás de Celano, OFM, j- 1255).

99. V. Trato. 1) Natureza - Trato se chama um texto composto de poucos versos, que substitui às vezes o aleluia do gradual (setuagésima) ou a este mesmo (quatro têmporas); nem sempre tem caráter de penitência (Jubilate, Quinquagésima). 2) Etimologia. Dizem uns que este texto se chama tractus, porque era cantado sem alternação, a seguir, de um trago. Alguns modernos recorrem a melodia semelhante da música grega antiga e dizem que é "continuação" (tractus) do Gradual. 

100. VI. Responsório. 1) Origem - O responsório era primitivamente a resposta do coro a um salmo recitado por um ou mais cantores, que tinham um papel predominante. 2) Uso - No ofício o responsório é um canto que se segue à recitação das lições nas matinas e à capitula nas horas menores e nas completas (responsório breve). Compõe-se do responso (parte repetida) e do verso. Já era conhecido no século IV.

Fonte: Curso de Liturgia - 2ª Edição - Pe. João Batista Reus, S. J. - Ed Vozes Limitada - Petrópolis - Rj 1944

Comentários