Catecismo Romano: Da parte dos sacramentos (Parte VI)

Os componentes essenciais dos sacramentos:  Depois de passa-los todos, com a devida exatidão, incumbe ainda aos pastores explicar as partes constitutivas de cada sacramento, suas respectivas classificações, bem como os ritos e cerimônias que lhes foram acrescentados.

Em primeiro lugar deve expôr-se que a coisa sensível, de que fala a definição, não é todo indiviso, embora se tenha que admitir que constitui-se de um só sinal.

Matéria e forma: Duas são as partes constitutivas de cada sacramento. Uma tem a função de matéria, e chama-se "elemento". A outra tem o caráter de forma, e leva a designação comum de "palavra". Assim reza a doutrina tradicional dos santos padres. Está em uso vulgar a célebre explicação de Santo Agostinho: "Unindo-se a palavra ao elemento, daí nasce o sacramento". 

Por "coisa sensível" entende eles não só a matéria ou elemento que é perceptível à vista, como a água do batismo, o crisma da confirmação, o óleo da extrema unção, mas as palavras que servem de forma, e são perceptíveis aos ouvidos.

O apóstolo explica expressamente, ambas as partes quando declara: "Cristo amou a Igreja, e por ela se entregou, afim de santificá-la, purificando-a no banho de água pela palavra da vida"(Efe 5, 25-26). Esta passagem exprime tanto a matéria, como a forma do sacramento.

Necessidade de uma junção: Era necessário juntar palavras a matéria, para que mais claro e evidente se tornasse o processo sacramental. De todos os sinais, as palavra tem maior eficiência. Se faltassem, não seria óbvio averiguar o que designa e demonstra a matéria dos sacramentos.

Senão, vejamos por exemplo o batismo. Por si só, serve a água tanto para refrigerar, como para lavar. Pode pois, simbolizar estes dois efeitos. Não lhes juntassem as palavras, alguém poderia conjecturar, mas nunca afirmar com certeza, qual dos dois efeitos a água significa no sacramento do Batismo. Todavia, como se juntam as palavras correspondentes, logo sabemos o que a água produz e assinala aqui a virtude de purificar. 

Infalibilidade do seu efeito: Neste ponto é que os nossos sacramentos se avantajam e muito aos sacramentos da antiga aliança. Quanto sabemos, estes não se administravam de forma determinada. Eram por conseguinte, de efeito muito incerto e obscuro. Em nossos sacramentos porém, a forma das palavras é prescrita de tal maneira que, se não for observada, deixa de haver o sacramento. Por isso, são elas muito evidentes, e não dão lugar a nenhuma dúvida.

Tais são as partes que pertencem a natureza e substância dos sacramentos, e das quais se compõe cada um deles com necessidade absoluta.


(Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

Comentários