Nossa Senhora do Sábado: Nossa Senhora da Regra de Havana

A tradicional festa de Nossa Senhora da Regra, cuja origem do culto remonta os primeiros séculos do cristianismo, ocorre neste dia. Porém, além de recordarmos a linda história desta devoção mariana, tão vigorosa na Espanha, a homenagem de hoje recai também sobre Ela como Padroeira da capital de Cuba, dos marinheiros e dos pescadores cubanos.

Um dos símbolos nacionais mais importante deste povo é o santuário de Nossa Senhora da Regra de Havana. A imagem da Virgem alí venerada é uma cópia fiel da original africana, que se encontra no atual Mosteiro de Nossa Senhora da Regra de Chipiona, em Cadiz no sul da Espanha. Ela chegou na baía com um fiel devoto e colonizador espanhol, em 1694. Logo ele mandou erguer a ermida para a permanente reverencia à Virgem da Regra, propagando a devoção para todos os habitantes do Novo Mundo.

Regra, do espanhol regla, é um pequeno município portuário da baía de Havana, tombada como patrimônio da humanidade pela UNESCO em 1982. Trata-se de um dos lugares mais visitados por turistas do mundo todo, pois manteve o mesmo ambiente, metade praiano e metade campestre, desde sua fundação no começo do século XVII. Não se pode ignorar, que isto se deve ao intenso sacrifício da população oprimida pelo regime político de ditadura comunista, ainda vigente em Cuba.

O povo cubano, na sua maioria, possui a pele morena, fruto da mistura das raças que o formaram: indígenas, negros e espanhóis. Por isto a veneração à Nossa Senhora da Regra foi tão assimilada por eles, uma vez que a imagem da Virgem é negra e sua história tem raiz africana. A fervorosa fé dos cubanos no poder da intercessão de Nossa Senhora da Regra de Havana, as contínuas manifestações populares de agradecimento pelas graças e milagres alcançados e atribuídos à ela chegou à Santa Sé, em Roma. Após anos de intensa investigação muitos milagres foram comprovados, e Ela foi declarada Padroeira da baía de Havana sendo coroada solenemente pelo representante do Papa Clemente XI, em 1714.

O século XVII foi especialmente pródigo de sinais da Virgem Maria ao povo sofrido da ilha de Cuba. A Mãe de Deus se apresentou com a mesma cor da pele dos filhos aflitos, dando-lhes o amparo e socorro suplicados. Assim numa só chama e numa só proteção paira sobre esta nação, as duas devoções festejadas e celebradas neste dia: a de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba e a de Nossa Senhora da Regra de Havana, padroeira de sua capital.


Fonte: Paulinas

Comentários