quinta-feira, 22 de março de 2012

Quinta-feira da 4ª semana da Quaresma

A estação de hoje reunia-se no Santuário edificad no monte Esquilino. São Silvestre (Papa) tinha recebido de um santo sacerdote uma casa para transformar em Igreja. Foi esta uma das cinco paróquias de Roma no século V. No século VI, o Papa São Simaco mandou contruir um edifício ao lado do primeiro em nível mais elevado e dedicou-lhes a São Silvestre e São Martinho de Tours. Depois da restauração levada a cabvo no Século XVI por São Carlos Borromeu, ficou a chamar-se de "São Martinho ai Monte".
A Epístola e o Evangelho anunciam-nos o grande mistério da Ressurreição que se aproxima e de que vão aos catecúmenos e os penitentes participar. A Sunamita e a Viúva de Naim tinham perdido os filhos. Eliseu, que era figura de Cristo, ressuscitou o da primeira vez e o Salvador o da segunda. da Penitência, com almas que o pecado original, ou graves pecados pessoais, por assim dizer, mataram. Quere dar-lhes a vida da graça e entregá-las nos braços da Mãe Igreja.

Epístola

Leitura do Livro do VI Reis (4, 25,38) : Naqueles dias: Uma mulher de Sunam partiu e chegou aonde estava o Eliseu, no monte Carmelo. Eliseu, vendo-a de longe, disse ao seu servo Giezi: Aí vem a sunamita; corre-lhe ao encontro e pergunta-lhe se ela vai bem, como vai o seu marido e o seu filho. Ela respondeu: Tudo vai bem. Mas chegando junto do homem de Deus na montanha, pegou-lhe os pés. Giezi aproximou-se para afastála, mas o homem de Deus disse-lhe: Deixa-a; sua alma está cheia de amargura e o Senhor me oculta o motivo, nada me revelou. A mulher disse: Pedi eu porventura um filho ao meu senhor? Não te disse que não zombasses de mim? Eliseu disse a Giezi: Põe o teu cinto, toma na mão o meu bastão e parte. Se encontrares alguém, não o saúdes; e se alguém te saudar, não lhe respondas. Porás o meu bastão no rosto do menino. A mãe do menino exclamou: Por Deus e pela tua vida, não te deixarei! Então Eliseu seguiu-a. Entretanto, Giezi, que os tinha precedido, pôs o bastão no rosto do menino; mas não houve voz, nem sinal de vida. Ele voltou a Eliseu e disse-lhe: O menino não despertou. Eliseu entrou na casa, onde estava o menino morto em cima da cama. Entrou, fechou a porta atrás de si e do morto, e orou ao Senhor. Depois, subiu à cama, deitou-se em cima do menino, colocou seus olhos sobre os olhos dele, suas mãos sobre as mãos dele, e enquanto estava assim estendido, o corpo do menino aqueceu-se. Eliseu levantou-se, deu algumas voltas pelo quarto, tornou a subir e estendeu-se sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. Eliseu chamou Giezi e disse-lhe: Chama a sunamita; o que ele fez. Ela entrou e Eliseu disse-lhe: Toma o teu filho. Então ela veio e lançou-se aos pés de Eliseu, prostrando-se por terra. Em seguida tomou o filho e saiu. Quando Eliseu voltou a Gálgala, a fome devastava a terra. Estando os filhos dos profetas sentados diante dele, disse ao seu servo: Toma uma panela grande e prepara uma sopa para os filhos dos profetas.

Evangelho do dia:

Leitura do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (7, 11-16) : Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: No dia seguinte dirigiu-se Jesus a uma cidade chamada Naim. Iam com ele diversos discípulos e muito povo. Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: Não chores! E aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: Moço, eu te ordeno, levanta-te. Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta surgiu entre nós: Deus voltou os olhos para o seu povo.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: