quarta-feira, 15 de março de 2017

Quarta-feira da 2ª Semana da Quaresma


A estação de hoje reunia-se no santuário onde se conserva o corpo da ilustre virgem romana (Santa Cecília). Lemos na Epístola a súplica de Mardoqueu em favor de seu povo que o ímpio Amam queria perder; pede ao Senhor que mude em alegria aqueles dias de cerrada tristeza. Também o povo cristão anda mergulhado no luto da penitência quaresmal e aspira às santas alegrias da Páscoa. Mas para lá chegar, diz o Evangelho, é necessário beber primeiro o cálice dAquele que vem perder a vida para nos resgatar e que nos fará participantes da sua ressurreição se quisermos com Ele morrer para o pecado.


Leituras

Leitura do Livro de Ester (13, 8-11; 15-17). Naqueles dias Mardoqueu orou ao Senhor, recordando tudo o que havia feito: Senhor, disse, Senhor, rei todo-poderoso, tudo está realmente no vosso poder, e ninguém pode resistir à vossa vontade, se tendes resolvido salvar Israel. Fizestes o céu e a terra e todas as maravilhas que se acham sob a abóbada celeste. Sois o Senhor universal e ninguém poderia opor-se a vós, o Senhor. E agora, Senhor, que sois meu Deus e meu rei, Deus de Abraão, poupai vosso povo, pois nossos inimigos nos querem arruinar e destruir vossa antiga herança. Não desprezeis a vossa porção, que vós resgatastes do Egito. Ouvi minha oração! Sede propício para com a partilha de vossa herança, e mudai em gozo nossa dor, a fim de vivermos para celebrar vosso nome, Senhor, e não fecheis a boca daqueles que vos louvam, ó Senhor!



Evangelho

Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (20, 17-28): Naquele tempo: Subindo para Jerusalém, durante o caminho, Jesus tomou à parte os Doze e disse-lhes: Eis que subimos a Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte. E o entregarão aos pagãos para ser exposto às suas zombarias, açoitado e crucificado; mas ao terceiro dia ressuscitará. Nisso aproximou-se a mãe dos filhos de Zebedeu com seus filhos e prostrou-se diante de Jesus para lhe fazer uma súplica. Perguntou-lhe ele: Que queres? Ela respondeu: Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda. Jesus disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu devo beber? Sim, disseram-lhe. De fato, bebereis meu cálice. Quanto, porém, ao sentar-vos à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim vo-lo conceder. Esses lugares cabem àqueles aos quais meu Pai os reservou. Os dez outros, que haviam ouvido tudo, indignaram-se contra os dois irmãos. Jesus, porém, os chamou e lhes disse: Sabeis que os chefes das nações as subjugam, e que os grandes as governam com autoridade. Não seja assim entre vós. Todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, se faça vosso servo. E o que quiser tornar-se entre vós o primeiro, se faça vosso escravo. Assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: