segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

FESTA DO SANTÍSSIMO NOME DE JESUS





A Igreja revela-nos as grandezas do Verbo incarnado, cantando as glórias do seu Santo Nome.

Era por ocasião do rito da circuncisão que os Judeus impunham o nome aos filhos; por isso a Igreja vai buscar hoje o Evangelho da festa da Circuncisão fazendo realçar as últimas palavras: "E foi-lhe dado o nome de Jesus, nome que já o anjo lhe havia dado antes de ser concebido no seio da Virgem". O nome Jesus significa Salvador, e diz São Pedro, que não foi dado aos homens outro nome, pelo qual nos possamos salvar.


É ao nome de Jesus, diz São Bernardo, que os coxos andam, que os cegos vêem e que os surdos ouvem. A pregação do nome de Jesus é a luz do mundo, o unguento que unge, reconforta e sustenta. O nome de Jesus é mel para os lábios, melodia para os ouvidos e alegria para o coração". Que durante a nossa vida ele nunca nos saia dos lábios para termos um dia a alegria de vermos o nosso junto do Dele inscrito no Céu.


As primeiras origens desta festa remontam o Século XVI em que eram Celebrada na Ordem de São Francisco. Em 1721, Inocêncio XIII, estendeu-a ao mundo inteiro.

Epístola

Leitura dos Atos dos Apóstolos (8, 4-12 ): Naquele tempo: Então Pedro, cheio do Espírito Santo, respondeu-lhes: Chefes do povo e anciãos, ouvi-me: se hoje somos interrogados a respeito do benefício feito a um enfermo, e em que nome foi ele curado, ficai sabendo todos vós e todo o povo de Israel: foi em nome de Jesus Cristo Nazareno, que vós crucificastes, mas que Deus ressuscitou dos mortos. Por ele é que esse homem se acha são, em pé, diante de vós. Esse Jesus, pedra que foi desprezada por vós, edificadores, tornou-se a pedra angular. Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.


Evangelho da Festa:


Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (2, 21): Naquele Tempo: Depois que se completaram os oito dias para ser circuncidado o Menino, foi-lhe posto o nome de Jesus, como lhe tinha chamado o anjo, antes que fosse concebido no ventre materno.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.

Nenhum comentário: