De olho no médico!

Felipe Marques pereira

Em sua primeira entrevista como presidente em exercício Michel Temer afirmou que não se importaria em ser impopular, desde que produzisse benefícios  para o país, foi sábio e corajoso, cumpre agradar antes a Deus do que aos homens, mas ao ser perguntado sobre a ausência de mulheres em seus ministérios começou a titubear, e,  ao invés  de justificar afirmando que sexo não é critério de escolha (poderiam ser todas mulheres desde que fossem as mais bem preparadas), ficou buscando de memória cargos de segundo escalão em que mulheres estão atuando em seu governo.

Sua pernas tremeram de novo quando, precionado diante dos protestos de artistas cedeu a vontade popular (que dias antes havia desconsiderado parcialmente) e recriou o ministério  da cultura. A vontade popular só deve ser atendida quando for dirigida para o bem e para a verdade, está  última conhecida pelo uso natural da razão.  O povo já se mostrou incapaz de eleger bons representantes.

Quanto aos seus ministros, investigados e citados nas delações, são os melhores. Imagine você, caro leitor, que diante de um corpo agonizando (como está  o Brasil) e precisando de atendimento só um dos presentes seja um médico e você negue o socorro ao enfermo diante do fato de que o único capaz responda na justiça por erros médicos. Essa é a situação que vive o nosso país e que pede os mais preparados, ainda que estes sejam bandidos, é o médico quem deve atender, mas os outros devem ficar de olho.

Contato: felipemarquespereira2015@outlook.com

Comentários