Teologia Ascética e Mística: O crescimento da vida espiritual pelo mérito

Progredimos pela luta, contra os nossos inimigos, mais ainda pelos atos meritórios, que praticamos cada dia. Todo ato bom, feito livremente por uma alma em estado de graça com intensão sobrenatural, possui um tríplice valor, meritório, satisfatório e impretatório, que contribui para o nosso progresso espiritual.

a) Valor meritório, pelo qual aumentamos o nosso capital de graça habitual e os nossos direitos à glória celeste: voltaremos já este ponto.

b) Valor satisfatório, que em si mesmo encerra um tríplice elemento: 1º a propiciação que, por meio de um coração contrito e humilhado, nos torna a Deus propício e o inclina a perdoar-nos as nossas faltas; 2º a expiação que, pela infusão da graça apaga a falta; 3º a satisfação que pelo caráter penal que anda anexo às nossas boas obras, anula de todo ou em parte a pena devida ao pecado. Não são somente as ações propriamente ditas que produzem este feliz resultado, mas ainda a aceitação voluntária dos males e sofrimentos desta vida, como no-lo ensina o Concílio de Trento; e acrescenta ainda que isso é um grande sinal do amor divino. E na verdade, que há aí de mais consolador que podemos aproveitar-nos de todas adversidades para purificar a nossa alma  e uni-la perfeitamente a Deus.

c) Enfim, estes mesmo atos tem ainda um valor inpetratório, em quanto contem uma petição de novas graças, dirigida a infinita misericórdia de Deus. Como faz notar com grande razão Santo Tomás de Aquino, ora se, não somente quando de modo explícito se apresenta um requerimento a Deus, mas ainda quando, por um movimento do coração, ou pela ação, se tende para ele; te tal sorte que ora sempre aquele que orienta toda a sua vida para Deus: "tamdiu homo orat quamdiu agit corde ore, vel opere ut in Deum fendat, et sic semper orat qui totam suam vitam in Deum ordinat. E com efeito, este voo de alma para Deus não será uma oração, uma elevação de alma para Deus, e um meio eficacíssimo de obter dele o que desejamos para nós e para os outros?

 Para o fim que nos propomos, bastar-nos-á expor a doutrina sobre o mérito: 1º a sua natureza; 2º condições que aumentam o seu valor.

Pág 142 e143

(Fonte: Compêndio de Teologia e Ascética e Mística - AD. Tanquerey - 1961)

Comentários