Nossa Senhora do Sábado: Nossa Senhora de Walsingham


O Santuário de Nossa Senhora de Walsingham é o mais famoso da Inglaterra. Situado em Norfolk, na sua igreja maior abriga uma réplica da "Santa Casa de Nazaré", por isso o lugar é chamado de "Nazaré britânica" ou "Loreto inglesa".

Ele surgiu no povoado de Walsingham, em 1061. Teria sido um pedido da própria Virgem à piedosa viúva Richeldis de Faverces, à qual aparecera em sonhos. Maria desejava ter em Walsingham um lugar de paz igual a sua Casa de Nazaré. Mas, Richeldis disse à Mãe que não sabia como ela era, pois nunca fôra à Palestina. A Virgem, então, chamou o Anjo Gabriel que, em espírito, transportou Richeldis até a Casa da Sagrada Família e lhe informou suas dimensões.

A princípio Richeldis não acreditou na aparição, porém, como o sonho se repetiu mais duas vezes, decidiu cumprir a vontade de Nossa Senhora. Convocou os pedreiros e carpinteiros e ergueu uma réplica da Casa de Nazaré em madeira. Pouco tempo depois Walsingham era rota de peregrinação para venerar a Mãe de Deus, a "Santa Casa" e meditar sobre o Mistério da Encarnação. Assim, a réplica de madeira precisou ser substituída por uma de alvenaria.

Ao longo do trajeto dos peregrinos foram construídos outros lugares de oração. O mais conhecido é a "Capela dos Chinelos", assim chamada, porque dalí os devotos seguem descalços, cerca de uma milha, até o Santuário. Na idade média, ele concorria com os santuários de: Jerusalém, Roma e Compostela, em número de peregrinos, vindos de todas as partes da Europa, para cumprir essa tradição de fé.

No século XII, o santuário foi entregue aos religiosos agostinianos, que ergueram ao seu lado um convento e uma grande igreja, impulsionando ainda mais as peregrinações. Os devotos de Nossa Senhora de Walsingham eram de todas as classes sociais e Casas reais.

Também o rei Henrique VIII costumava ir ao Santuário. Como humilde peregrino, se confessava na Capela dos Chinelos e depois seguia descalço o tradicional trajeto. Porém, em 1534, casado com a rainha Catarina de Aragão, ele pediu ao Papa para anular seu matrimônio, porque desejava se unir com a cortesã Ana Bolena. Tendo o pedido negado, rompeu com Roma e se proclamou Chefe Supremo da Igreja da Inglaterra.

Os católicos ingleses nunca esqueceram da sua "Nazaré britânica", mesmo com o Santuário em ruína, eles continuaram freqüentando Walsingham, para rezar na Capela do Chinelo. Em 1896, Carlota Boyd, uma protestante convertida, adquiriu a propriedade da "Santa Casa", a restaurou fielmente e doou ao Bispo de Nortfolk. Contudo, só em 1934, foi reconhecido como Santuário Nacional Católico de Nossa Senhora, durante a solenidade que entronizou a imagem da Virgem de Walsingham, cópia exata daquela destruída, em 1538.

A estátua de madeira representa Maria sentada num trono, segurando com a mão esquerda um ramo de lírio como cedro e com a outra ampara o divino Filho, que abençoa com a mão direita. Vinte anos depois, essa imagem recebeu a coroação canônica do Papa Pio XII. A partir de 1968, o Santuário foi confiado aos Padres Maristas.


Fonte: Paulinas

Comentários