TERÇA-FEIRA DE PÁSCOA (OITAVA DA PÁSCOA)


A estação de hoje reúne-se em São Paulo, a volta do túmulo do Apóstolo, os filhos mais novos da Igreja para lhes ler o discurso que ele dirigiu aos judeus e a todos nós a fim de nos confirmar na fé da Ressurreição. O evangelho encerra também uma prova magnífica da ressurreição do Senhor, conta-nos a aparição do Senhor aos discípulos e aos Apóstolos reunidos no cenáculo e como se fez tocar e como comeu com eles de lhes deu a comer do que deixara. Durante toda a oitava, os intróitos evocam os riquíssimos tesouros que constituem o patrimônio daqueles que as águas do batismo regeneraram.
Epístola

Leitura dos Atos dos Apóstolos (13,16 e 26-33) : Naqueles dias: Paulo levantou-se, fez um sinal com a mão e falou: Homens de Israel e vós que temeis a Deus, ouvi. Irmãos, filhos de Abraão, e os que entre vós temem a Deus: a nós é que foi dirigida a mensagem de salvação. Com efeito, os habitantes de Jerusalém e os seus magistrados não conheceram Jesus, e, sentenciando-o, cumpriram os oráculos dos profetas, que cada sábado são lidos. Embora não achassem nele culpa alguma de morte, pediram a Pilatos que lhe tirasse a vida. Depois de realizarem todas as coisas que dele estavam escritas, tirando-o do madeiro, puseram-no num sepulcro. Mas Deus o ressuscitou dentre os mortos. Durante muitos dias apareceu àqueles que com ele subiram da Galiléia a Jerusalém, os quais até agora são testemunhas dele junto ao povo. Nós vos anunciamos: a promessa feita a nossos pais, Deus a tem cumprido diante de nós, seus filhos, suscitando Jesus, como também está escrito no Salmo segundo: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei (Sl 2,7).


Evangelho do dia:

Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo Segundo São Lucas (24, 36-47): Naquele tempo:
Enquanto ainda falavam dessas coisas, Jesus apresentou-se no meio deles e disse-lhes: A paz esteja convosco!
Perturbados e espantados, pensaram estar vendo um espírito.
Mas ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que essas dúvidas nos vossos corações?
Vede minhas mãos e meus pés, sou eu mesmo; apalpai e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que tenho.
E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.
Mas, vacilando eles ainda e estando transportados de alegria, perguntou: Tendes aqui alguma coisa para comer?
Então ofereceram-lhe um pedaço de peixe assado.
Ele tomou e comeu à vista deles.
Depois lhes disse: Isto é o que vos dizia quando ainda estava convosco: era necessário que se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos profetas e nos Salmos.
Abriu-lhes então o espírito, para que compreendessem as Escrituras, dizendo:
Assim é que está escrito, e assim era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia.
E que em seu nome se pregasse a penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém.


Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960

Comentários