quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Catecismo Online: "Creio no Espírito Santo" (Parte I)


Com o vagar que exigia a natureza do assunto, expusemos até agora as verdades referentes à Primeira e a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Atualmente, resta explicar o que no Símbolo se contém a respeito da Terceira Pessoa, que é o Espírito Santo.

Na explicação desta matéria, devem os pastores esforçar-se com todo o interesse, porque o cristão não pode, tão pouco, ignorar esta parte do Símbolo, nem ter dela uma noção menos exata que dos artigos anteriores.

Por isso, o Apóstolo não tolerou que alguns de Éfeso ignorassem a pessoa do Espírito Santo. Quando lhes perguntou se tinham recebido o Espírito Santo, responderam que nem sequer sabiam da existência do Espírito Santo. Então logo se informou: "Em que batismo, pois, fostes batizados?" (Atos 19, 2ss). Com tais palavras, indicou a absoluta necessidade de terem os fiéis uma noção clara do presente artigo.

Quando eles meditavam seriamente que, por mercê e dádiva do Espírito Santo, receberam tudo quanto possuem (1Cor 12, 3-4), o primeiro fruto de tal conhecimento é de começarem a ter de si mesmo uma opinião mais modesta e humilde, e a por toda a sua esperança no auxílio de Deus. Este deve ser o primeiro passo do cristão para as alturas da sabedoria e da felicidade.

A exposição do artigo deve começar pelo sentido que, neste lugar, se dá ao termo "Espírito Santo". Com toda a propriedade é a atribuído o mesmo nome ao Pai e ao Filho, pois que Ambos são o Espírito Santo (Jo 4, 24 - 2 Cor 3, 17) e Santos (Is 6, 3 - Apoc 4, 8) e que, de nossa parte, confessamos que Deus é espírito. Além disso, aplicamos a mesma designação aos anjos (Sal 103, 4 - Hebr 1, 7) e as almas dos justos (Sal 145, 4 - Ecles 12, 7). Portanto, é preciso atender que não caia o povo em erro, pela ambigüidade de expressão.

Devemos pois ensinar que, neste artigo, o nome de "Espírito Santo" designa a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, conforme o sentido que ocorre nas Sagradas Escrituras algumas vezes no Antigo, e com freqüência no Novo Testamento.

Assim rezava Davi: "E não retireis de mim o vosso Espírito Santo!" (Sal 50, 13). No livro da sabedoria lemos a passagem: "Quem conhecerá vossos desígnios, se vós não lhe derdes a sabedoria, e das maiores alturas não enviardes Vosso Santo Espírito?" (Sab 9, 17) E noutro lugar: "Ele próprio a criou no Espírito Santo" (Ecle 1, 9).


E no Novo Testamento, recebermos ordem de sermos batizados "em nome do Pai, e do Filho, e do espírito Santo" (Mt 28, 19). Lemos também que a Santíssima Virgem "concebeu do Espírito Santo" (Lc 1, 35). São João envia-nos a Cristo, que nos "batiza no Espírito Santo" (Jo 1, 29ss). Na leitura das Escrituras, depara-se-nos a mesma expressão em muitos lugares.

(Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

Nenhum comentário: