Teologia Ascética e Mística: A Natureza da vida Cristã

A vida sobrenatural, visto ser uma participação da vida de Deus, em virtude dos merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, define-se por vezes: a vida de Deus em nós ou a vide de Jesus Cristo em nós. Estas expressões são exatas, se há o cuidado de explica-las bem, de sorte que se evite qualquer resquício de panteísmo. Efetivamente, nós não temos uma vida idêntica da de Deus ou a de Jesus Cristo, senão uma semelhança dessa vida, uma participação finita, se bem que real, dessa vida.


Podemos, pois, defini-la: uma participação da vida divina, conferida pelo Espírito Santo que habita em virtude dos méritos de Jesus Cristo, a qual devemos cultivar contra as tendências opostas.



É, pois, fácil de ver que a vida sobrenatural é uma vida, em Deus tem a parte principal, e nós a secundária. É Deus, a Santíssima Trindade (também se diz o Espírito Santo), que vem em pessoa conferir-nos a vida, pois somente ele pode nos tornas comparticipantes da sua própria vida. Comunica-no-la em virtude dos merecimentos de Jesus Cristo, que é a causa meritória, exemplar e vital da nossa santificação. É, pois, muita verdade que Deus vive em nós, que Jesus vive em nós, mas a nossas vida espiritual não é idêntica à de Deus ou a de Nosso Senhor Jesus Cristo, é distinta a elas é apenas semelhantes a uma e a outra. - A nossa vida consiste em usar os dons divinos, para vivermos em Deus e para Deus, para vivermos em união com Jesus Cristo, imitando-o; e, como a tríplice concupiscência persiste em nós, não podemos viver, senão combatendo-a a todo o transe; como, por outro lado, Deus nos dotou de um organismo sobrenatural, temos obrigação de o fazer crescer por meio dos atos meritórios e da fervorosa recepção dos sacramentos.



Tal é o sentido da definição que acabamos de dar; todo este capítulo não será mais do que a explicação e desenvolvimento dela. Ao mesmo tempo iremos tirando conclusões práticas sobre a devoção à união com o Verbo Encarnado, e até sobre a devoção à Santíssima Virgem e aos santos, conclusões que derivam das suas relações com o Verbo encarnado.



Postos que a ação de Deus e da alma se desenrolam paralelamente na vida cristã, trataremos, para mais clareza, em dois artigos sucessivos, da parte de Deus e da parte do homem.



(Fonte: Compêndio de Teologia Ascética e Mística - Ed. Apostolado da Imprensa - 1961 - 6ª edição)

Comentários