Novena em honra de Nossa Senhora da Conceição Aparecida: 1º Dia, início da novena

Hoje iniciamos a Novena em honra de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira e Rainha do Brasil. Iremos interromper a série de postagens para privilegiar o culto da Vigem Mãe que sofre o ataque infame dos hereges e infiéis. Peçamos nesta novena pelo Brasil, pelos nossos governantes, pelo clero da Igreja, pela conversão dos pecadores, ateus e hereges, pela perseverança dos justos, pelas almas do purgatório e pelas nossas intenções em particular.

A história da padroeira começa com a vinda do novo governador de São Paulo e Minas, o Conde de Assumar, e coube à Câmara de Guaratinguetá recebe-lo e dar lhe hospedagem com um banquete típico, no qual incluía peixes da região.

O ano é 1717 e apesar das dificuldades que os pescadores enfrentam, eles assumem a tarefa de providenciar os peixes para o banquete de recepção do governador. Domingos Garcia, João Alves e Felipe Pedroso são os bravos pescadores que se incumbiram desta missão. Trabalharam durante a noite e a madrugada para conseguir seu feito navegando ao longo de todo o rio Paraíba. Desanimados pela falta êxito na sua missão decidem jogar as redes pela última vez, lançando-a junto ao rio Iguaçu. Percebendo-se que havia algo pesado na rede, trataram-se de recolhe-la o mais rápido para ver o que haviam pescado. Acontecendo algo de inesperado, eles encontram em suas redes um corpo de uma estatueta de barro cozido sem a cabeça. Lançando mais uma vez a rede na esperança de encontrar algo a mais, encontraram a cabeça da imagem que logo fora identificada como sendo da veneranda Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora da Conceição. Acreditando que algo de divino e misterioso se passava, lançaram a rede para ver se sua fé lhe dava mais um sinal, e assim que lançaram a rede estava tão pesada de peixes que tiveram que voltar para o leito do rio.

Não foi muito difícil para aqueles homens simples entenderem que o que havia de acontecido tratava-se de um milagre operado pela mediação da Virgem Santíssima.


Oração: Senhor, sabemos que não abandoneis os vossos filhos que com fé e confiança pedem algo, conforme Jesus disse: "Pedi e recebereis! Procurais e encontrareis! Concedei-nos a graça que pedimos nesta novena que se inicia (fazer o pedido). Desde que seja de acordo com a sua vontade e pela salvação da minha alma. Amém.


Pai-nosso; Ave-Maria; Glória-ao-Pai.

Consagração a Nossa Senhora Aparecida:

Ó Maria Santíssima, que em vossa Imagem milagrosa de Aparecida espalhais inúmeros benefícios sobre o Brasil, eu, embora indigno de pertencer ao número dos vossos servos, mas desejando participar dos benefícios da vossa misericórdia, prostrado a vossos pés, consagro-vos o entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis. Consagro-vos a língua, para que sempre vos louve e propague a vossa devoção. Consagro-vos o coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas. Recebei-nos, ó Rainha incomparável, no ditoso número dos vossos servos. Acolhei-nos debaixo da vossa proteção. Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e temporais e, sobretudo, na hora da nossa morte. Abençoai-nos, ó Mãe Celestial, e com vossa poderosa intercessão fortalecei-nos em nossa fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possamos louvar-vos, amar-vos e render-vos graças no céu, por toda eternidade. Assim seja.

Uma pequena história para animar a fé de nosso devoto!

Notícia que foi publicada no O Globo online em 13/11/2008

Foto: O Globo Online
SÃO PAULO - Uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, considerada a protetora dos armazéns, conseguiu resistir intacta ao incêndio que destruiu na manhã desta quarta-feira um depósito de cebolas e batatas na Rua Eurípedes Simões de Paula, no Brás, região central da capital. Cerca de 40 funcionários que trabalhavam no local escaparam sem ferimentos.
- Quando foram me chamar por causa do fogo, eu só dizia 'minha Nossa Senhora Aparecida' e pedia socorro para ela, que é a protetora de todos os galpões - disse a cozinheira Maria Helena da Silva, de 41 anos, que preparava o almoço dos empregados quando o incêndio começou.
- Eu ia fazer batata frita, bife à rolê e arroz à grega quando foram me chamar. Não deu tempo de salvar nada. Nossa Senhora nos protegeu - lembrou.
Um curto-circuito na sobreloja do galpão teria causado o fogo, que se alastrou rapidamente. O depósito está instalado em um prédio antigo com parte da estrutura em madeira e teto forrado com isopor. Além disso, no local havia vários sacos de estopa - usado para acondicionar as batatas e cebolas - e alguns pneus.
- O fogo pegou de repente. Não deu tempo nem de usarmos o extintor. Havia materiais inflamáveis no local, o que fez com que o fogo pegasse muito rapidamente -disse o dono do depósito, Cláudio Roberto Finigalia Fernandes, de 53 anos.
- Ninguém se feriu, porque aqui a maioria das pessoas trabalham na rua com os caminhões - explicou o vendedor Antônio da Silva, de 45 anos.
O Corpo de Bombeiros chegou 21 minutos depois. Dez equipes foram acionadas para controlar as chamas, que começaram por volta das 7h50m. De acordo com Fernandes, estima-se um prejuízo de R$ 150 mil.
Dono da imagem de Nossa Senhora, que estava no depósito desde que o proprietário chegou ao local, há cinco anos, Fernandes vai mandá-la para a restauração.
- Parte do manto da santa queimou. Vamos levá-la para casa para mandar fazer o restauro - explicou.
Santo se salvou no Pari
Outras imagens sagradas já se salvaram da destruição do fogo. Em junho de 2006, uma cruz e a imagem de Santo Antônio foram preservadas durante o incêndio que atingiu a Paróquia de Santo Antônio do Pari, na zona norte da capital. O fogo destruiu uma das duas torres de 52 metros da igreja, após uma festa em homenagem ao padroeiro que reuniu milhares de fiéis. O santo casamenteiro estava num altar preparado para a comemoração de seu dia. Nove freis que dormiam no local também conseguiram escapar ilesos.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Comentários