domingo, 16 de outubro de 2011

16 de Outubro - Santa Edwigis, Viúva

Também se escreve Hedwigs ou Eduvigis
Nascida na Bavária em 1174, morreu na Silésia em 1243 e canonizada em 1267.
Santa Edwigis era uma das oito filhas do Bertoldo IV, conde de Andechs que governou o Tirol e a Istria (Croácia e Alta Baviera). Dois de seu irmãos se tornaram bispos e duas de suas irmãs se tornaram rainhas. Uma delas Gertudes se casou-se com o Rei André II, da Hungria e é a mãe de Santa Elizabete da Hungria.
Ainda jovem, Edwigis foi educada no convento-monastério beneditino de Kitzingen, na Franconia .Em 1186 quando tinha apenas 12 anos, Edwigis casou-se com o príncipe da Polônia Henry, o Barbudo, e futuro Duque da Silésia ,que tinha na ocasião apenas 18 anos.
Alguns anos mais tarde ela deu a ele 6 filhos e ambos tiveram uma educação muito rígida e assim, em 1209 ela e seu marido, resolveram em viver em perpétua continência sexual. Edwigis tinha 35 e o Duque Henty pouco mais de 40, mas ele submeteu-se a uma austera disciplina sem nenhuma resistência e reclamações .
Após suceder ao seu pai no Ducado em 1202 e sob a influencia de Edwigis, Henry fundou o monastério de irmãs Cisterciano em Trebnitz (perto de Brelau –agora Wroclaw), o primeiro monastério feminino da Silésia. O convento foi construído com o trabalho de criminosos condenados. Foi o primeiro de um grande número de estabelecimentos que foram fundados pelo casal inclusive casas de frades Augustinianos, monges Cistercianos, Dominicanos e Franciscanos, através dos quais a cultura germânica e a religião cristã se espalhou pelo seu território.
Henry e Edwigis fundaram o Hospital do Sagrado Espírito Santo em Breslau, dedicado a mulheres leprosas.
Seguindo o exemplo de sua esposa, Henry sustentou um grande número de obras piedosas. Ele deixou a barba crescer a maneira dos monges Cistercianos (daí o apelido de Henry, o Barbudo) e reduziu drasticamente as despesas da sua casa, usando o dinheiro para propósitos caridosos. Após a separação dos dois, Henry e Edwigis nunca mais usaram qualquer objeto de ouro, prata ou púrpura. Há pouquíssimas duquesas como ela. Ela era humilde, servia os pobres, perdoava as ofensas, ajudava os inimigos, trazendo ajuda aos mais insolentes e duros pecadores. Ela ficava com um centésimo da sua renda e dava o restante de mão aberta. Debaixo de seu capote esfarrapado ela usava o cabelo como blusa e andava descalça mesmo no inverno, e quando em obediência ao seu confessor, ela comprou um novo par de sapatos, ela os carregava nos braços. Ela submetia sua alma e seu corpo a sacrifícios e jejuns austeros. Durante sua vida varias curas foram relatadas como sendo feito por ela. Vários milagres são relatados com ela e por ela. Contam que certa vez lendo a bíblia sob a luz de vela, caiu no sono e o livro pegou fogo e queimou, mas logo depois estava intacto novamente; e que um homem cego teve sua vista restaurada apenas com a sua benção.


Com a morte de Henry em 1238 Edwigis passou a morar no monastério de Trebnitz . Edwigis não chorou no velório de seu marido em vez disso consolava as freiras dizendo que Deus não trataria mal a aqueles a quem amava e que Henry estaria melhor ao lado do Senhor.
Todos os seus filhos morreram antes dela excetuando um, Gertrudes que tornou-se a Abadessa do Convento de Trebnitz.
Era uma mulher decidida e assim Edwigis tomou o hábito de freira, mas não fez os votos para ter a liberdade de administrar as suas propriedades como bem desejasse e o fez sempre a favor dos necessitados. As vezes chegava a pagar as suas dívidas, e por isso é considerada por muitos a padroeira dos endividados.
Ela previu a sua própria morte e realmente veio falecer em 1243 conforme havia dito.
Ela é também a padroeira da Silésia e muito venerada na Franconia.
Na liturgia da igreja é mostrada com a estatua da Virgem nas mãos, ou lavando os pés dos pobres, ou descalça com os sapatos nas mãos, ou com o hábito de freira com a coroa de uma princesa ao lado, ou com Cristo benzendo-a da Cruz.

Sua festa é celebrada no dia 16 de outubro.

Fonte: http://www.cademeusanto.com.br/santa_edwigis.htm

Nenhum comentário: